Imagem: Reprodução/Internet

A Arlequina

Todo mundo em algum momento da vida já se apaixonou por um personagem nas HQs. Um que se tornou fonte de inspiração ou que era tão diferente do que já se viu que não teve como não amar. Sempre que esse amor inesperado acontece, buscamos saber mais sobre aquele personagem, independentemente de ter conhecido pelo cinema, por uma animação ou mesmo nos quadrinhos. Amor esse que muitas vezes está ligado a alguma característica parecida com a nossa. Um nome ou mesmo um traço da história que faz pensar no que aconteceu ao longo da nossa vida

Muitos acreditam que todos os personagens de HQs que conhecemos nos dias atuais surgiram de uma mesma fórmula: passando primeiro pelos quadrinhos, tendo uma aceitação do público e então ganhando forma em animações ou produções cinematográficas. Nem sempre as mesmas fórmulas trazem os mesmos resultados e um bom exemplo de que pode funcionar começando de outras maneiras é a personagem Arlequina.

Imagem: Reprodução/internet, Arlequina na animação Batman e Arlequina: Pancadas e Risadas (2017)

O nascer de uma anti-heroína

Criada por Paul Dini e Bruce Timm para a série animada de TV Batman. A Arlequina teve sua primeira aparição no episódio #22, Joker’s Favor (Um Favor para o Coringa), que foi exibido em setembro de 1992. A intenção inicial dos seus criadores era que a Arlequina aparecesse apenas naquele episódio e nada mais além disso. Algo semelhante a ideia da criação do Coringa que inicialmente morreria na sua primeira aparição. No entanto, o público aceitou tão bem a personagem que eles desenvolveram diversos outros episódios da série mantendo ela. Em setembro de 1993, um ano depois da sua primeira aparição,  Arlequina passou por sua transição para os quadrinhos. Porém, só teve sua inclusão no Universo DC em 1999, com o quadrinho Batman: Harley Quinn.

Arlequina é uma personagem que transita entre ser vilã e ser uma anti-heroína e apesar de ter passado por uma fase, ao lado do Coringa, em que representou a história de muitas mulheres mundo afora que sofrem com relacionamentos abusivos, agora representa a força das mulheres que conseguiram sair disso e caminha ao lado de outras duas mulheres fortes e empoderadas, Mulher-Gato e Hera Venenosa, formando uma das trindades mais icônicas da DC Comics: Gotham City Sirens (Sereias de Gotham).

Imagem: Reprodução/Internet. Hera Venenosa, Mulher Gato e Arlequina

Chegando às telonas

Em 2016 estreou o filme Esquadrão Suicida, que apesar de ter falhas e não ter agradado tanto o público como se esperava, tirou das animações e dos quadrinhos a Arlequina que foi interpretada de forma incrível pela atriz Margot Robbie. Apesar da personagem ter sido mal aproveitada nessa adaptação cinematográfica, a atriz está sendo mantida para mais uma adaptação que tem estreia marcada para 2020. O filme será Aves de Rapina:Arlequina e sua Emancipação Fantabulosa e trará outras personagens tão marcantes quanto a própria Arlequina e mostra o oposto do que foi visto em Esquadrão Suicida, onde a Dr. Quinzel foi mostrada como a mulher devota ao Coringa apesar de qualquer coisa. Vamos aguardar os próximos capítulos dessa personagem esperando que dessa vez ela atinja as expectativas do público.

Imagem: Reprodução/internet, Margot Robbie como Arlequina, em Aves de Rapina com estreia marcada para 2020

Amante da leitura, seja jornal, livros ou hqs. Adora um conta de fadas, inclusive é toda trabalhada na Fiona: meio ogra mas com coração de princesa. Marvete assumida com amor. EXLSIOR. E um café, por favor, bem forte e sem açúcar.
Post criado 40

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo