The Crown | 4ª Temporada (2020)

A quarta temporada de The Crown segue a tendência do ano anterior, muito mais íntima. Se nos dois primeiros anos a principal preocupação da série era a recepção do mundo à Rainha, nos dois últimos o mundo privado da Família Real é o assunto principal da série, e não a política da Grã-Bretanha.

Em especial no quarto ano, o parlamento e assuntos políticos do país são apenas pano de fundo para contar a história dos personagens. As crises, leis e guerras servem para situar o espectador na série, mas ao escolher voltar a atenção na vida privada da família, os assuntos políticos são deixados de lado por mais tempo do que seria o ideal. Sendo assim, a produção poderia ter dado mais espaço para Margaret Thatcher ao invés de focar na relação de Charles e Diana.

Ao decorrer das temporadas, a série aumentou seu número de personagens importantes, chegando à quarta temporada com quase todos os membros da Família Real tendo algum destaque. Apesar disso, os mesmos personagens acabam esquecidos por muitos episódios, e quando voltam a dar as caras, ficamos perdidos na narrativa.

O ponto forte da produção continua sendo seu elenco. Destaques com certeza vão para as duas novas adições, Emma Corrin como Lady Diana e Gillian Anderson como Margaret Thatcher. Gillian, junto com o roteiro, consegue fazer o espectador sentir empatia por Thatcher.

Olivia Colman (Rainha Elizabeth II) e Tobias Menzies (Príncipe Philip) seguem excelentes em seus papéis. Enquanto na temporada anterior necessitavam convencer o público, nessa os atores estão confortáveis o suficiente para acrescentarem os seus tons aos personagens.

Sempre que possível, o roteiro faz breves comentários e críticas sutis às políticas e sistema da Grã-Bretanha. Em um episódio específico, fica claro as referências às obras do diretor inglês Ken Loach.

Outro ponto positivo da série é, além da direção de arte e fotografia, a montagem. Montagem sutil e ardilosa, consegue dar seu próprio toque ao roteiro, sendo muito mais dinâmico.

A série segue não permitindo ao espectador a total simpatia por algum personagem. Todos tem seus erros e defeitos, sendo que os filhos da Rainha mais do que os outros, mas tornando todos humanos, como é falado diversas vezes na narrativa.

É visível a razão da Família Real não gostar dessa temporada. Exposição de problemas em casamentos, erros cometidos, suas consequências e defeitos em personalidades, sejam fantasiosos ou não, dificilmente agradará alguém, em especial a uma família que necessita da aprovação do povo.

The Crown segue alfinetando a Família Real mais do que nunca, e a diferença é clara entre os primeiros anos e este. A produção está muito mais madura e séria, com a certeza do que quer passar.


Nota do Crítico: 4,0 = ótimo

O critério de notas é estabelecido da seguinte forma: 

0,0 = péssimo

1,0 = ruim

2,0 = regular 

3,0 = bom

4,0 = ótimo

5,0 = excelente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo