Destacamento Blood | Crítica

Spike Lee, conhecido por fazer obras incríveis como O Infiltrado na Klan, atacou novamente a ferida que paira pelo mundo, principalmente os EUA, em Destacamento Blood.

O longa conta a história de 4 veteranos negros que lutaram a guerra do Vietnã, que retornam ao país para encontrar o que deixaram para trás. E como o filme ressalta muitas vezes, para quem luta uma guerra, ela nunca acaba, e sim só muda os níveis de combate (externos e internos).

Falar sobre guerras é um tema um tanto quanto delicado, porém necessário, afinal qual é o outro lado da guerra? É exatamente essa pergunta, que Spike Lee nos responde com cenas fortes e muito reflexivas. Vendo o trabalho de fotografia do filme, a maneira que ele é conduzido junto com a trilha sonora e as alfinetadas ao sistema norte-americano, nos faz claramente perceber a assinatura do diretor.

Tudo isso com uma sincronia perfeita com todo o elenco do filme e não foi atoa que recebeu a indicação ao prêmio dos sindicatos dos atores para o ano de 2021, como melhor elenco. Delroy Lindo, Chadwick Boseman, Clarke Peters, Isiah Whitlock Jr, Norm Lewis e Jonathan Majors conseguem fazer com que exatamente todos os conflitos apresentados no filme mexam com você, e o coloquem em cada situação de seus personagens.

O personagem de Delroy (Paul) é a personificação de um soldado que nunca saiu da guerra. E em seus momentos de monólogo as falas, soam como um recado à todos que contribuíram para que os negros continuassem sendo a famosa “bala de canhão”, principalmente quando a população negra se manifestava nas ruas pelo assassinato de Martin Luther King em 1968.

É interessante apontar tão momento, exatamente porque Spike Lee não nos deixa esquecer durante seu filme os negros que são referências mundiais e principalmente Martin Luther King que era fervorosamente contra a guerra do Vietnã na época. A montagem do longa faz um ótimo trabalho de contexto histórico colocando falas originais de algumas pessoas e também apenas retratos, enquanto no diálogo dos personagens, ela ali se fazia presente.

Destacamento Blood é mais do que o último trabalho de Chadwick Boseman com Spike Lee em vida. O longa da Netflix atua como um verdadeiro sentido de importância da vida negra com detalhes de ação durante suas duas horas e meia.


Nota do crítico: 5,0 = excelente

O critério de notas é estabelecido da seguinte forma: 

0,0 = péssimo

1,0 = ruim

2,0 = regular 

3,0 = bom

4,0 = ótimo

5,0 = excelente

Apesar da vida ser um grande episódio de Black Mirror ela as vezes tem seus momentos de Sta Wars e fica tudo lindo!
Post criado 91

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo