American Gods 3ª Temporada | Crítica

Depois de uma segunda temporada abaixo das expectativas, Amazon Prime Video não parece fazer um esforço para melhorar sua produção. American Gods segue com a história ditada no livro homônimo de Neil Gailman, mas com um ritmo muito mais lento do que a obra original, o que prejudica seu consumo.

O final da segunda temporada praticamente não tem repercussão na história. Apesar disso, outras histórias propostas pela versão audiovisual são bem interessantes. O arco de Bilquis e do Technical Boy são ótimos acréscimos à narrativa, por vezes sendo os únicos motivos de seguir com a série, mas ainda não mostraram a que veio. Por mais que acrescentar os Orixás à história seja um ponto a refletir, de nada adianta se servem apenas para cenas visualmente lindas.

Outro ponto em que a série deixa a desejar é a personagem Laura Moon (Emily Browning). Se antes, parecia que ela não teria o papel que tem no livro, agora a série faz com que ela o tenha. Porém, toda a história dela zumbi parece que não serviu a nada. A série opta pelo caminho mais longo para chegar ao mesmo ponto do livro. Como se não bastasse, a produção deu chá de sumiço à um dos melhores personagens e atores, Mr. Nancy (Orlando Jones), desta vez por conta de alegações de racismo por parte do ator. A série manteve Mr.Ibis (Demore Barnes), mas não teve a consideração de dar um parecer de Mr. Nancy personagem na narrativa.

Ao menos, ao lado de Laura a série manteve Salim (Omid Abtahi), ótimo personagem que recebeu o devido brilho. Em um episódio praticamente focado nele, a série demonstra todo seu poder visual, de cores, figurinos, planos e sobreposições de imagens. Visualmente, a série segue excelente e sabe que é aí que ela tem força.

Outra força que a série tem é o seu elenco. Ian McShane segue perfeito como Odin, assim como Ricky Whittle (Shadow Moon), Yetide Badaki (Bilquis), Bruce Langley (Technical Boy), Omid, Demore e Emily, Mr.World em suas três versões e até mesmo atores coadjuvantes são ótimos. Embora a perda de Gillian Anderson como Media na virada da 1ª para a 2ª temporada tenha sido uma grande baixa no time, o elenco segue forte.

Entre trancos e barrancos, American Gods segue para a sua quarta temporada, e provavelmente última. Apoiando-se no livro, a série tenta dar novas histórias ao espectador, mas ainda não são fortes o suficientes. Torcemos para que a história de Bilquis e Technical Boy não virem uma bagunça que nem a de Laura. Ao menos com Bilquis, as chances são pequenas, visto que seu arco pode dar um destino mais claro do que o do livro à Shadow.

Nota do crítico: 3,5

0,0 = péssimo
1,0 = ruim
2,0 = regular 
3,0 = bom
4,0 = ótimo
5,0 = excelente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo