Dota – Dragon’s Blood | Crítica

Dota – Dragon’s Blood, da Netflix em parceria com o Studio Mir, tem como principal objetivo introduzir o universo do game para novos fãs e possíveis jogadores. E já que esse é o objetivo, ele foi alcançado.

A primeira temporada da animação começa com a visão de Davion, um guerreiro que é um caçador de dragões e logo na primeira noite ele encontra Mirana, uma princesa renegada pelo seu povo. A partir dai, fica muito claro que a temporada gira em torno deles dois e também como as aventuras vão se desenvolvendo.

Assim como o esperado de uma história que está se iniciando, tudo que acontece nesses episódios da primeira temporada são puramente desenvolvimento de história e apresentação dos personagens e suas raças. Porém se levarmos em conta que a animação se baseia em um game com mais de 100 personagens , teoricamente tem muita coisa que precisa ser apresentada ainda.

Quanto a narrativa, ela vai se expandindo quando se aproxima no meio da temporada, apresentando assim, os elfos e também os dragões com mais profundidade. A história que até o momento parecia ser baseada na visão de Davion e Mirana, começa a ter outros caminhos, como por exemplo a história da Fymrym e Luna.

Apesar de todos esses pontos se cruzarem na frente e resolverem o primeiro conflito que nos é apresentado, a série também prepara muita coisa para um futuro promissor. A questão que devemos levantar agora é se de fato esse futuro vai existir dentro da série, ou continuará só no game.

Uma segunda temporada me parece muito mais necessária do que simplesmente fazer com que esses novos fãs comecem a jogar Dota 2 para compreenderem o que acontece no futuro.


Nota do crítico: 4,0 = ótimo

0,0 = péssimo
1,0 = ruim
2,0 = regular 
3,0 = bom
4,0 = ótimo
5,0 = excelente

Apesar da vida ser um grande episódio de Black Mirror ela as vezes tem seus momentos de Sta Wars e fica tudo lindo!
Post criado 108

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo