Ninguém disse que seria fácil

Nenhum jogo foi feito para ser fácil em todo o tempo. Aliás, ninguém disse que seria fácil em todo momento. Eu, assim como muitos, estou acostumado com os jogos que dão a opção de fácil, normal e difícil. Claro que existem jogos que zombam por você jogar no modo fácil, porém acho isso uma bobagem já que algumas pessoas possuem dificuldade em jogar algo que seja extremamente difícil, como Cuphead por exemplo. Por mais que os desenvolvedores criem esses jogos para estimular nossa mente, ainda assim, é de se avaliar a questão da dificuldade.

Em um texto meu, na review de Resident Evil Village, citei sobre a dificuldade adaptativa, o que é extremamente positivo. Quanto mais você progride, mais o jogo fica difícil, e isso é bom. Mas isso não se aplica a todos os jogos, já que alguns são difíceis mesmo por serem feitos assim.. Dark Souls, por exemplo, a dificuldade dele é justamente para te mostrar a ter atenção e evitar certos combates quando necessário. Embora Souls te coloque a prova em tudo, mesmo se fosse no modo muito fácil, o jogo ainda assim seria difícil. Como citei acima, Cuphead é difícil porque o jogo assim foi feito. Embora tenha o modo para enfrentar no fácil, você não passa de fase de fato, é apenas uma isca para atrair os noobs.

Dark Souls é fácil. Disse o jogador que morreu 300 vezes. (Reprodução: Internet)

Essa questão de dificuldade é mais antiga. Tivemos Ghosts’n Goblins, que era difícil por conta do jogador ter somente duas vidas. Se morrer, volta desde o começo. Battletoads seguia este modelo também. Tive a felicidade, ou infelicidade, de jogar Bloodborne. Nem sequer passei da primeira fase. Não era do meu agrado, assim como muitas coisas, então optei em fechar o jogo e jogar algo que eu gostasse no meu Playstation 4. Quando um jogo é difícil, saber a hora de parar e refrescar a mente, é sempre fundamental. Você, leitor, não é obrigado a jogar Sekiro como um maluco, mas sim jogar pelo prazer de conhecer a história.

Jogos fáceis encantam, jogos difíceis também. Mas é preciso saber a hora de testar os seus limites até o seu máximo. Ninguém disse que seria fácil, a vida imita a arte assim como os jogos imitam a vida. Um chefão pode ser revisitado depois, não precisa rushar um jogo em seu lançamento para saber como jogar. Vá no seu tempo e na sua calma. Igual um sorvete – de creme, meu favorito -, jogos precisam ser apreciados de pouco a pouco. Morreu mil vezes? Volte ao começo e tente de novo, mas não se martirize por isso.

Se não consegue jogar e alguém o criticar por isso, lembre-se: comprometa-se com o que puder, e quando não puder, não o faça. É simples. É fácil. Mais fácil do que jogar Sonic ou Mario. Todo jogo pode ser pausado, para continuarmos depois. É nessa pegada que eu, Yan, escrevo a minha última matéria neste site. Grandes caminhos por Hyrule ou pela Green Hill Zone me esperam. Deixo aqui minha Master Sword, para que o próximo herói da lenda possa empunhar e continuar a aventura. Até um próximo jogo.

Uma mistura de Capitão América com Doutor Estranho, das casas Stark e Targaryen, aliado dos anões da Terra Média, treino pokémons insetos e nas horas vagas um lolzeiro noob.
Post criado 58

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo